6 maneiras de arrecadar recursos para entidades do terceiro setor

Nenhum resultado encontrado

A página que você solicitou não foi encontrada. Tente refinar sua pesquisa, ou use a navegação acima para localizar a postagem.

É de conhecimento público que o empreendimento social necessita de recursos, sobretudo financeiros, para se sustentar e seguir em frente com os seus projetos e esse é o grande desafio para a sua sobrevivência ou ampliação do seu alcance. No entanto, vale muito raciocinar, imaginar os meios pelos quais esses recursos podem ser adquiridos. Nas empresas privadas, existem diferentes maneiras de se levantar fundos; dentro da administração pública, há outras tantas e para o terceiro setor a coisa não funciona de outra maneira.

Por isso, nesse post, nós vamos tratar de algumas formas pelas quais as entidades do terceiro setor podem arrecadar recursos para suas causas. Se você possui uma ONG, uma associação, uma fundação e quer conhecer outras formas de angariar recursos para aumentar as receitas da sua entidade, veja aqui uma lista dessas possibilidades.

1. Arrecadar recursos por meio de plataforma de doação online

A plataforma de doação é o primeiro item da nossa lista. Ela é um meio de arrecadação eficiente e, talvez, o mais completo entre aqueles que vamos apresentar aqui.

Um sistema online, geralmente integrado a um site (da própria instituição), é capaz de receber doações por diversos meios de pagamento e de qualquer pessoa que o acessar através de um navegador de internet.

O sistema de doação online tem a vantagem de conseguir receber as contribuições por diferentes meios de pagamento (cartões de débito, crédito, carteiras digitais, depósito bancário, etc) em moeda nacional ou internacional.

Uma instituição do terceiro setor que queira contar com essa ferramenta, precisa contratar os serviços de uma que empresa que trabalhe com o desenvolvimento de sistemas para a internet e a desenvolva.

2. Destinação de parte do imposto pago por meio de nota fiscal

Esta é outra forma de arrecadação de recursos para as entidades do terceiro setor. Trata-se, na verdade, de um programa criado pelos governos estaduais (CPF na nota) de alguns Estados do País.

Dentre os muitos efeitos gerados por esse programa, vamos destacar aqui a possibilidade de as entidades do terceiro setor receberem recursos financeiros oriundos das compras realizadas pelos consumidores comuns.

Para que as entidades recebam mensalmente os valores em dinheiro, elas precisam realizar o cadastro no programa, que fica nos sites das secretarias estaduais. A partir daí, sempre que uma pessoa (também cadastrada no programa) fizer uma compra e registrar o CPF na nota fiscal, a entidade acumula pontos que mensalmente se convertem em um valor em dinheiro.

3. Participar de editais dos entes públicos

Apesar de ser uma ótima opção, o edital público exige o cumprimento de uma série de exigências e, por isso, nem todas as instituições conseguem usá-lo como forma de arrecadar recursos.

O Edital é um processo seletivo que estabelece regras a serem atendidas pelos projetos das entidades dos terceiro. Vence o processo aquele projeto que mais estiver de acordo com as regras do edital. A entidade vencedora passa, então, a receber o financiamento do órgão público.

4 Por meio do direcionamento de uma parte do Imposto de Renda

O Imposto de Renda das pessoas físicas também pode ser uma fonte de receita para as instituições do terceiro setor. Essa contribuição, no entanto, depende apenas do indivíduo que realiza o recolhimento anual do seu imposto de renda.

A contribuição para as entidades sem fins lucrativos pode ocorrer de duas formas:

  • Mês a mês durante o ano calendário (01 de janeiro a 31 de dezembro), e nesse caso a pessoa consegue a entidade a qual deseja destinar a doação.
  • No período de declaração do imposto. Nesse caso, o valor da doação é direcionado ao fundo da criança e do adolescente.

5. Promovendo eventos na comunidade

A realização de eventos também serve como forma de captação de recursos; sobretudo aqueles eventos de caráter beneficente: jantares, leilões, shows, palestras, etc.

Com o advento da internet isso pode ser feito inclusive de forma online. No YouTube, por exemplo, as lives fazem bastante sucesso e podem servir, sem dúvidas, para atrair a atenção das pessoas para as causas sociais e receber delas doações.

6. Sensibilização de empresas privadas

Não é incomum ver empresas privadas envolvidas com causas sociais; na verdade isso acontece e com uma certa frequência. Gigantes do mercado de tecnologia, por exemplo, como Google, Facebook, Microsoft são comumente noticiadas como apoiadoras de vários projetos sociais, inclusive no Brasil.

E esse é outro interessante caminho para quem busca novas formas de arrecadar recursos para instituições do terceiro setor. Muitas empresas privadas são alinhadas e apoiam projetos que atuam para atender demandas sociais, tais como nas áreas de meio ambiente, educação, auxílio às pessoas com deficiência, etc. Portanto, buscar organizações com essas características e predisposições pode ser mais um meio de angariar mais recursos para os projetos do terceiro setor.

* Texto produzido e distribuído pela Link Nacional para os assinantes da solução Conteúdo para Blog.

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *